BitCoin – O que é e como funciona.

A economia global vem mudando radicalmente com o crescimento dos negócios digitais. Bolsas de valores para empresas de tecnologia e startups inovando disruptivamente e derrubando grandes corporações tradicionais já não são mais nenhuma novidade. No entanto, pouco se sabe ainda sobre o BitCoin e para isso convidamos o Máster Franqueado da San Martin Alexandre Ribas (Alê) para nos contar um pouco sobre essa moeda digital que tem influenciado a economia global a cada dia. Confira:

Alê, o que é e como funciona o BitCoin?

BitCoin é uma moeda digital descentralizada, apresentada em 2008 por um programador, ou um grupo, de pseudônimo Satoshi Nakamoto. São gravadas em um banco de dados chamados blockchain, um tipo de banco de dados que tem a função de contabilidade pública ( saldos e transações de contas).

As transações ocorrem entre o endereço remetente e o destinatário, formados por códigos chamados carteira digital. O usuário que irá fazer o pagamento precisa saber o endereço destinatário podendo este ser através de um código de barras do tipo QR, que será escaneado/reconhecido pelo dispositivo do usurário pagador. Com a criação da primeira legislação de regulamentação como forma de pagamento o Japão passou a ser o maior mercado de BitCoin.

 

Apesar de já regulamentada no Japão, a moeda ainda não tem liberação jurídica para todos os países.  Gostaria que você falasse um pouco sobre o mercado da moeda e legislação brasileira sobre o assunto.

Parte do comércio vem aderindo a moeda e aceitando a mesma como forma de pagamento, apesar de alertas lançados por especialistas. No Brasil, o Banco Central não reconhece as moedas virtuais. Existem denúncias de que a moeda tem sido usada para lavagem de dinheiro e compra de drogas e, com isso, a reputação não é muito boa pois virou alvo de muita especulação. Os europeus, por exemplo, não se renderam a ideia porque acreditam que a moeda incentiva a lavagem de dinheiro.

Enquanto muitos têm visto na moeda virtual como coisa séria outros se perguntam se não é uma bolha que pode estourar. Não existe garantias de instituições nacionais. Algumas pessoas acreditam e outras não. Tem que tomar cuidado com este tema.

Mas mesmo com as incertezas a procura é muito grande, não é?

Sim! Mesmo com as incertezas a procura ainda é muito grande.
O volume cresceu tanto que o sistema financeiro percebeu que não vai conseguir impedir as transações virtuais.

O que determina o preço?
BitCoin não tem teoria de preço. Diferentemente das ações que se baseiam no lucro futuro, títulos de dívidas de acordo com a  capacidade do pagador e imóveis como o valor aluguel o BitCoin não tem uma teoria de preço oficial. Por não ter uma teoria de preço e, na maior parte do planeta também não ter uma legislação sobre o tema, é praticamente um vale tudo.

Para você, o que acha que falta para a moeda ser melhor uma fonte melhor aceita para investimentos?

A transparência seria um ponto importante, mas por enquanto a maioria concorda que é um investimento de alto risco.

 

Alexandre Ribas é Master Franqueado San Martin no litoral paulista, consultor de seguros, previdência e consultor de investimentos certificado pela ANBIMA (Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais). 

Acesse o site da franquia

2 thoughts on “BitCoin – O que é e como funciona.”

  1. Olá bom dia a todos que fazem a equipe San Martin. Fico feliz em saber que a San Martin está mostrando interesse em conhecer mais sobre o bitcoin e a sua tecnológia, como intusiasta do bitcoin e da tecnológia blockchain me arrisco a falar que não há até o momento nada mais transparente do que o blockchain os dados inseridos nele é imutável uma vez inseridos não tem como alterar e ou ludibriar de maneira maliciosa ou por acidente, tornando assim um meio confiável de vários pontos de vista. Por exemplo: está tecnológia pode ser empregada em diversos setores como financeiro, segurança , jurídico, fiscal etc eu poderia falar aqui centenas de formas de aplicação da tecnológia por traz do bitcoin mais na verdade o que se ver são grandes corporações bancárias enfrentando o bitcoin como o bicho papão, falam em lavagem de dinheiro, em financiamento ao terrorismo mais tudo isso é para impor medo ao uso de maneira global. As moedas oficiais globais constantemente são usadas em crimes financeiros lavagem de dinheiro em crimes cibernéticos mais a mídia não mostra. No Brasil estamos atrasados no uso da tecnológia mais quando parassem de focar no corpo financeiro e observar o valor tecnológico isto vai mudar e aí sim teremos uma maior empregabilidade desta tecnologia em diversos setores melhorando e agilizando diversos processos em diversos setores.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *