Vou comprar meu primeiro carro: vale a pena fazer um consórcio?

Pensando a longo prazo, é mais econômico fazer um consórcio.

Para muitos brasileiros, abandonar o transporte público e comprar o primeiro carro é um sonho que só pode ser realizado com muito trabalho. Nem sempre dá para comprar aquele novo modelo do Cruze a venda, mas é possível conseguir alguns modelos mais simples.
O sonho está cada vez mais perto do consumidor devido as promoções e condições de pagamento que estão sendo facilitadas, mas nem sempre, estão mais baratas para os clientes.
Se você está pesquisando qual o modelo que mais te agrada e também está pensando em como poupar dinheiro para comprar o veículo, isso porque, pagar os juros pode não ser uma boa opção.
Para comprar um carro, ou qualquer outro tipo de bem, a melhor forma de pagamento é à vista. Porém, nem sempre isso é possível, então outras formas podem ser analisadas.
O financiamento é uma forma de pagar parceladamente as contas, porém com taxas de juros, nem sempre tão atrativas. Por isso, é uma opção viável para a compra do primeiro carro, mas pode ser uma dívida que comprometa uma boa parcela do seu orçamento.
Uma modalidade bastante antiga, mas que vem crescendo novamente, é o consórcio. Essa é a opção mais rentável para comprar um veículo, pagando poucos juros.
Se você está em dúvida, vamos falar mais sobre essas modalidades possíveis para a compra do seu primeiro carro.

Sem dívidas, sem prejuízo

Essa é a melhor forma de adquirir um bem, seja ele móvel ou imóvel. Pagar à vista significa que você não irá comprometer nenhuma parte do seu orçamento de forma fixa. Dentro de um planejamento financeiro, pagar um Honda Civic à vista é perfeitamente possível, desde que você faça uma projeção e poupe seu dinheiro regularmente, pelo tempo que entenda necessário para alcançar seu objetivo.
Traçar seus objetivos e as metas para alcança-lo são a melhor opção para não pagar juros e nem precisar comprometer o orçamento. Com certeza esse é o melhor negócio.

Crédito na praça, dinheiro no bolso

Essa frase já foi a premissa do slogan de muitas instituições bancárias e financeiras do Brasil. Se o cliente é bom pagador e um empregado com uma folha de pagamento interessante, todas as financeiras abrem as portas para que ele deposite parte do seu salário mensal em suas contas.
Para financiar um carro hoje no Brasil não é preciso de muito. É necessário somente escolher a marca e modelo do veículo para entregar a documentação na concessionária. Novo ou usado, o que importa é o valor líquido da compra.
Se o cliente tem um emprego ou renda fixa e não esteja devendo na praça, é muito provável que ele vá conseguir um empréstimo.
A política é simples, se o salário é baixo, só resta aumentar o número de prestações. Se o salário é mais alto, é só emprestar o dinheiro, não comprometendo mais de 30% do orçamento, que isso já o suficiente para que o cliente seja um bom pagador.
No final das parcelas, o cliente já estará motivado novamente para fazer um novo financiamento e trocar de carro.

 

Uma ajuda para poupar

Esse é o lema do cliente que quer comprar um bem, mas não tem a disciplina necessária para poupar seu dinheiro a cada mês. Essa é a melhor forma de guardar o dinheiro em uma poupança para um fim específico.
O consórcio é um acordo entre uma empresa e um número de clientes que tem como alvo uma carta de crédito com um valor determinado.
Esse valor é dividido por um número fixo de parcela, que são acrescidas de uma taxa administrativa mensal para custear a burocracia que a empresa especializada está tendo para administrar o contrato.
Portanto, o consórcio nada mais é que um compromisso de poupar um valor fixo por mês, e no prazo estipulado, o cliente tem o retorno do investimento em uma carta de crédito que pode ser utilizado para compra do carro, nesse caso.
Para quem está estudando a possibilidade da compra do primeiro carro, e está planejando a médio e longo prazo a aquisição do bem, o consórcio é uma forma interessante de adquirir o veículo.

 

Vale a pena fazer o consórcio do primeiro carro?

A dica é: comece cedo a se planejar para comprar o seu primeiro automóvel. Mesmo não tendo um salário tão alto ou ainda esteja se fixando no mercado, faça seu primeiro consórcio e vá poupando para conseguir alcançar seu sonho o mais rápido possível.
Sem pressa para pegar o veículo, você ainda pode ter a chance de ser contemplado nesse período e conseguir colocar um famoso Corolla, seja novo ou usado, na sua garagem.
Quando você adquire uma cota em um contrato de consórcio, não importa a marca, modelo ou ano de fabricação do veículo que pretende comprar. Isso fica a cargo do cliente, depois que ele estiver de posse da carta de crédito na mão.
Se você ainda está fazendo planos, mas não sabe qual o veículo que mais se adapta as suas necessidades, o consórcio pode ser uma opção interessante, já que você irá investir em dinheiro, e não em um veículo específico.
Uma das grande vantagens do consórcio é que o cliente não precisa tomar decisões antecipadamente. É preciso definir somente quanto é possível poupar por mês, levando em consideração o quanto recebe como salário ou de forma fixa.
Com o dinheiro na mão, ao final do contrato, o cliente pode pesquisar vários modelos, entre novos e usados, dentro da faixa de preço que tem disponível na carta de crédito, e negociar a compra do carro como se fosse à vista.
Para o primeiro carro, essa pode ser a maneira mais interessante de poupar e adquirir um bem a médio prazo, sem grandes sacrifícios financeiros.

 

Gostou deste artigo sobre o consórcio como forma de compra do primeiro carro? Então aproveite e compartilhe este texto com os seus amigos através das suas redes sociais.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *